Pra refrescar a vida, seja viajante

 

Passei os últimos 10 meses como viajante e não turista. Mas… Qual é a diferença?

 
Viajei por Israel e Bali trabalhando e conhecendo lugares incríveis. Nesse período não só conheci culturas muito diferentes através do trabalho. Mais do que tudo, fiz um mergulho em mim mesma. Quando a gente viaja por pouco tempo, estimula os sentidos com novas cores, cheiros, sabores, texturas, sons, sensações. Viajar por mais tempo nos transforma em viajantes e possibilita um mergulho em si que resulta em repensar quase tudo, eu diria. Impactos transformadores e irreversíveis.

 

 

O turista vê, o viajante enxerga. O turista ouve, viajante escuta. Turista prova, viajante vive. Porque demora um tempo pra gente sair do automático e se permitir viajar pra dentro, sem medo de ir nem de voltar. Porque a volta pode ser ainda mais transformadora do que a ida.

 

Por: Carolina Bergier

 

 

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Deixe um comentário