Jessica e ILAC – uma história em 360 graus

Por Jéssica Santos

Eu comecei a trabalhar com intercâmbio em 2013, quando entrei para a Go Tour. Vinha de uma área de negócios diferente e entrei para o intercâmbio e turismo sem saber o  que esperar. 

Meu primeiro contato com a ILAC foi logo no início dessa jornada, quando a representante da escola, Tatiana Menniti, sentou comigo por horas para explicar o bê-a-bá do intercâmbio. Ela me explicou sobre todo o processo do intercâmbio e da escola.

Lembro que fiquei muito impressionada pela qualidade e quantidade de informações que estava recebendo naquele momento, e pela dedicação e cuidado que aquela pessoa que representava a escola estava tendo comigo, para que eu pudesse começar a ofertar essa escola para meus clientes.

De 2013 a 2016 eu estava completamente realizada, vendendo intercâmbio para diversas pessoas e ajudando a realizar esse sonho de tantos que também passou a ser meu. Foi quando no final de 2015 eu decidi que também queria embarcar nessa aventura e, claro, a escola já estava escolhida faz tempo, seria a ILAC!

Em Abril de 2016, iniciei meus estudos na ILAC College de Toronto, no programa Service Excellence for Business, que me permitia trabalhar em meio período durante os estudos.  É muito comum, no Canadá, que estudantes internacionais ou domésticos estudem, como forma de custear suas despesas com o curso.

Optei por ter a experiência completa de estudante e passei o primeiro mês na casa de uma família canadense/polonesa/indiana – no Canadá há muitos imigrantes, e muitas das famílias que recebem estudantes são de nacionalidades diferentes.

O começo da minha experiência foi muito bacana. Fiz amigos de diversos lugares do mundo: Itália, Japão, Hungria, França, Venezuela e também Brasil. Minhas aulas eram no período da tarde e eu tinha manhãs e noites livres, o que me dava uma boa flexibilidade para procurar emprego.

Fiz 6 meses de college, onde tive aulas muito interessantes sobre o mercado de trabalho canadense, marketing, vendas, RH, entre outros assuntos. Entender o ponto de vista de outras culturas sobre estes temas me ajudou a olhar por uma perspectiva diferente, e até mesmo mudar de opinião sobre alguns assuntos.

Meus professores todos atuavam no mercado de trabalho. As aulas eram bem dinâmicas, com exemplos práticos e muitas atividades, apresentações e trabalhos. Nós tínhamos acesso à toda estrutura da escola, computadores para fazer as pesquisas e equipamentos de apresentação. A atividade que mais me marcou foi desenvolver uma ação de marketing para os próprios alunos da ILAC – o desafio foi grande, e o resultado foi recompensador.

Meu primeiro emprego foi na própria escola, no departamento de Atividades, que era responsável por recepcionar os novos alunos que chegavam a cada semana, e também por organizar os passeios e festas.

Tive outros dois empregos durante a fase de estudos no college.

Um deles foi em um restaurante italiano, como ajudante de cozinha, onde minha função era cuidar da louça e dos talheres, para que estivessem brilhando e sem manchas. Porém, por ser uma função interna, eu tinha poucas oportunidades para praticar o idioma.

Então, alguns amigos do colleges me indicaram para um restaurante de brunch – bem em frente à CN Tower (imagine a vista maravilhosa que eu tinha no meu trabalho!). Os proprietários costumavam contratar estudantes de college – normalmente pessoas dedicadas e bem treinadas.

Por estar em uma localização bastante turística, o restaurante estava sempre cheio. Neste local, trabalhei como hostess, recepcionando os clientes e os alocando em suas mesas. Além de ter um bom complemento na minha renda, melhorei muito minha capacidade de entender e de me comunicar em inglês, e ainda aprendi a identificar e compreender os mais diversos sotaques, pois recebíamos clientes do mundo inteiro.

Após a fase de estudos,  fiz o CO-OP (programa de estágio) no departamento de Homestay da própria escola. Este é o departamento responsável por alocar os alunos nas casas das famílias cadastradas – meu  trabalho era procurar os melhores matches entre os alunos que estavam para chegar e as famílias que estavam disponíveis (quase um tinder da acomodação). Foram meses bem felizes, que eu pude vivenciar na prática o cotidiano de uma empresa canadense e multicultural como a ILAC.

Ao voltar para o Brasil, retomei minhas atividades na Go Tour. Recomendo tranquilamente a ILAC para nossos clientes, com a certeza que terão uma experiência tão gratificante e engrandecedora como a minha.

Aqui estão algumas fotos do meu intercâmbio:

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Deixe um comentário